Pular para o conteúdo principal

Postagens

Review: Aquaman

Uma das fórmulas comprovadas de sucesso no cinema de grande escala hoje é o misto de filmes de super-heróis com algum outro gênero. Seja em um western com Logan (2017), em um thriller de espionagem com O Soldado Invernal (2014), um filme de guerra como Mulher-Maravilha (2017) ou uma space-opera como Guardiões da Galáxia (2014), o gênero engrandeceu quando se misturou a outras vertentes do cinema. E é justamente essa formula que faz desse Aquaman um acerto para a Warner/DC, apresentando um super herói misturado a uma vertente inesperada: Fantasia!
E esse é muito mais um filme de fantasia que um filme de super herói na verdade. James Wan abraça o fantástico sem a menor vergonha de ser, buscando inspiração (e prestando claras homenagens) a Steven Spielberg, George Lucas e até Peter Jackson. Seja pelas cores, pelo tema clássico da jornada do rei ou até mesmo pela ousadíssima escala de tudo, Aquaman acaba sendo um filme muito tradicional enquanto historia e cinema, uma versão de narrativa…
Postagens recentes

Globo de Ouro 2019 - Os Indicados

Divulgada a lista dos indicados ao Globo de Ouro 2019! Confira a lista dos indicados nas categorias de cinema:

Melhor filme - Drama
"Infiltrado na Klan" "Pantera Negra" "Bohemian Rhapsody" "If Beale Street Could Talk" "Nasce uma estrela"
Melhor Filme - Musical ou Comédia
"Podres de ricos" "A Favorita" "Green Book: O Guia" "O Retorno de Mary Poppins" "Vice"
Melhor atriz de filme - Drama
Glenn Close, "The Wife" Lady Gaga, "Nasce uma estrela" Nicole Kidman, "Destroyer" Melissa McCarthy, "Can You Ever Forgive Me?" Rosamund Pike, "A Private War"
Melhor ator de filme - Drama
Bradley Cooper, "Nasce uma estrela" Willem Dafoe, "At Eternity's Gate"

Review: Animais Fantásticos - Os Crimes de Grindelwald

Quando o primeiro Animais Fantásticos foi anunciado eu fiquei bastante empolgado, afinal, mas possibilidades desse universo bruxo eram tantas e a proposta de seguir para um lado adulto desse mundo era muito promissora. Tanto era que rendeu um ótimo filme, um dos meus favoritos no universo de JK Rowling no geral, o que influenciou muito no meu desapontamento com esse novo capítulo.
Primeiro de tudo, é impossível que um filme que se passe em um mundo com tanto a oferecer seja uma total perda de tempo, ele não é! A expansão do mundo bruxo é muito criativa e os novos animais fantásticos apresentados são belíssimos, o que em mãos competentes e muito bem familiarizadas com o material como as do diretor David Yates rendem um filme belíssimo, com sequências de fantasia carregadas de criatividade. Os problemas começam e terminam no mesmo lugar, o roteiro.
E a critérios de roteiro o que me pareceu aqui é que JK Rowling (que dessa vez assumiu total responsabilidade nessa parte) não soube difer…

Review: Nasce Uma Estrela

São inúmeras as historias atemporais no cinema. Elas surgem e ressurgem adequadas ao tempo corrente e são capazes de conversar com publico de novo e de novo, simplesmente por tratarem de temas humanos demais para não serem compreendidos. “Nasce uma Estrela” é um desses contos, talvez o mais moderno deles, e em sua quarta versão ele reforça essa estigma. Aclamados foram os anteriores, aclamado está sendo esse, um hype que confirmarei nesse review.
É claro, a historia só volta a funcionar por ter sido maravilhosamente adaptada e recontada. O primeiro crédito é do roteiro que Bradley Cooper construiu junto com Eric Roth e Will Fetters, onde conseguiram manter tudo de mais icônico, mas contextualizar uma cena social e comercial real e atual. Qualquer um que acompanhe música é capaz de ver essas carreiras acontecendo, tal como o romance é claro. A direção do filme também tem seu crédito, o dinamismo com o qual o filme se desenrola deixa imperceptível seu tamanho, e é um filme considerave…

Review: Venom

Desde seu renascimento em 2000 com o primeiro X-men, as adaptações de quadrinhos seguiram um longo percurso. Hoje é possível dividir essa era moderna dos super heróis em duas fases: Entre 2000 e 2008, onde o cinema estava brincando com gênero da maneira que sabia ou conseguia, e o pós 2008, onde Cavaleiro das Trevas e o surgimento do Marvel Studios com Homem de Ferro redefiniram o conceito e a forma de trabalhar esse conteúdo. Mais recentemente, títulos como Logan, Pantera Negra, Deadpool e Mulher-Maravilha abriram novos e mais refinados horizontes cinematográficos para o gênero. Eis que agora vem Venom proporcionar retrocesso.
Sim, pois essa é uma perfeita adaptação de quadrinhos de 2004 ou 2006. Desde o roteiro recheado a clichês e diálogos absurdamente expositivos a um vilão da profundidade de um pirex que só aparece para reforçar artificialmente como é mal, o filme parece se esforçar em repetir erros que eu achei que o gênero já tinha aprendido a não cometer. Inclusive, o banal …

Por que o Live-action de Mulan Não Será um Remake da Animação

Assim como parte do publico pela internet a fora, eu vinha incomodado com o fato do live-action de Mulan estar tomando uma forma bem diferente da animação clássica de 1998 lançada pela Disney. Afinal, desde Cinderella (2015), o estúdio vem conquistando o publico adulto através da nostalgia, com versão “em carne e osso” das historias com as quais crescemos, acrescentando no máximo uma camada a mais nas modernizadas versões com atores reais em cena. Foi esse incomodo com a mudança de estratégia que me fez ir pesquisar sobre, o que acabou me fazendo entender os motivos por trás dessa decisão e inclusive me converter, pois comercialmente é sim o caminho correto a se seguir.
O que diferencia Mulan de projetos como Cinderella, Mogli e A Bela e a Fera é uma questão bem objetiva: a China. E não, a Disney não está tomando decisões por causa da cultura ou das tradições chinesas, longe disso, o que está sendo levado em conta aqui é o que pode fazer o filme ter um retorno financeiro melhor, e ne…

Review: Os Incríveis 2

Apesar dos vários sucessos comerciais, a Pixar vem deixando a desejar quando se trata de resgatar a magia de seus títulos originais na hora de fazer suas sequências. Salvo Toy Story, que para mim só cresceu a cada filme, o estúdio tem entregado longas de qualidade, porém sem o toque especial de seus antecessores. Para minha alegria, isso não acontece após os 14 anos de espera pelo retorno de Os Incríveis.
O que mais me impressionou nesse filme foi o quão direta ao anterior a sequência é, começando antes do fim do primeiro, tornando possível assistir aos dois como um grande único filme (salvo pela mudança de qualidade de animação, que é gritante, em especial nas cenas que refaz do primeiro). Essa acabou sendo uma decisão inteligente também, pois dado o longo tempo que separa o lançamento dos dois filmes, uma mudança de período dentro da historia talvez dificultasse a relação público-personagem, até porque parte do apelo do filme é nostálgico. Reencontra-los exatamente onde os deixamos…