Pular para o conteúdo principal

Oscar 2018 - Os Indicados


A Academia divulgou a lista dos indicados ao Oscar desse ano! Confira quem foi nomeado ao maior prêmio do cinema:

MELHOR FILME Me Chame pelo Seu Nome O Destino de uma Nação A Forma da Água Três Anúncios Dunkirk Corra! Lady Bird Phantom Thread The Post

DIREÇÃO Christopher Nolan, Dunkink Jordan Peele, Corra! Greta Gerwig, Lady Bird Paul Thomas Anderson, Phantom Thread Guillermo del Toro, A Forma da Água


ATRIZ Sally Hawkins, A Forma da Água Frances McDormand, Três Anúncios Margot Robbie, Eu, Tonya Saoirse Ronan, Lady Bird Meryl Streep, The Post

ATOR Timothée Chalamet, Me Chame pelo Seu Nome Daniel Day-Lewis, Phantom Thread Daniel Kaluuya, Corra! Gary Oldman, O Destino de uma Nação Denzel Washington, Roman J. Israel, Esquire

ROTEIRO ORIGINAL Doentes de Amor Corra! Lady Bird A Forma da Água Três Anúncios para um Crime

ROTEIRO ADAPTADO Me Chame pelo Seu Nome O Artista do Desastre Logan Molly’s Game Mudbound

ANIMAÇÃO O Touro Ferdinando Breadwinner Coco, Com Amor, Vincent O Poderoso Chefinho

CANÇÃO Mighty River, Mudbound Remember Me, Coco Stand Up for Something, Marshal This is Me, O rei do show Mystery of Love, Call me by your name

DOCUMENTÁRIO Abacus Faces Places Icarus Last Men in Aleppo Strong Island

CURTA DOCUMENTÁRIO Edith+Eddie Heaven is a Traffic Jam on the 405 Heroine Knife Skills Traffic Stop

FILME ESTRANGEIRO Uma Mulher Fantástica (Chile) Insulto (Líbano) Desamor (Rússia) On Body e Soul (Hungria) The Square (Suécia)

ATOR COADJUVANTE Willem Dafoe, Projeto Flórida Woody Harrelson, Três Anúncios Richard Jenkins, A Forma da Água Christopher Plummer, Todo o Dinheiro do Mundo Sam Rockwell, Três Anúncios

ATRIZ COADJUVANTE Mary J. Blige, Mudbound Allison Janney, Eu, Tonya Leslie Manville, Phantom Thread Laurie Metcalf, Lady Bird Octavia Spencer, A Forma da Água

MAQUIAGEM O Destino de uma Nação Victoria & Abdul Extraordinário

MONTAGEM Em Ritmo de Fuga Dunkirk Eu, Tonya A Forma da Água Três Anúncios para um Crime

EFEITOS VISUAIS Blade Runner 2049 Guardiões da Galáxia Vol. 2 Kong: Skull Island Planeta dos Macacos: A Guerra Star Wars: Os Últimos Jedi

TRILHA SONORA Dunkirk Phantom Thread A Forma da Água Star Wars: Os Últimos Jedi Três Anúncios para um Crime

CURTA LIVE ACTION The Eleven O’Clock My Nephew Emmet The Silent Child Watu Wote / All of Us DeKalb Elementary

CURTA ANIMAÇÃO Dear Basketball Garden Party Lou Negative Space Revolting Rhymes

EDIÇÃO DE EFEITOS SONOROS Em Ritmo de Fuga Blade Runner 2049 Dunkirk A Forma da Água Star Wars: Os Últimos Jedi SOM
Em Ritmo de Fuga Blade Runner 2049 Dunkirk A Forma da Água Star Wars: Os Últimos Jedi

FIGURINO A Bela e a Fera O Destino de uma Nação Phantom Thread A Forma da Água Victoria & Abdul

FOTOGRAFIA Blade Runner 2049 O Destino de uma Nação Dunkirk Mudbound A Forma da Água

DESIGN DE PRODUÇÃO A Bela e a Fera Blade Runner 2049 O Destino de uma Nação Dunkirk A Forma da Água

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Por que o Live-action de Mulan Não Será um Remake da Animação

Assim como parte do publico pela internet a fora, eu vinha incomodado com o fato do live-action de Mulan estar tomando uma forma bem diferente da animação clássica de 1998 lançada pela Disney. Afinal, desde Cinderella (2015), o estúdio vem conquistando o publico adulto através da nostalgia, com versão “em carne e osso” das historias com as quais crescemos, acrescentando no máximo uma camada a mais nas modernizadas versões com atores reais em cena. Foi esse incomodo com a mudança de estratégia que me fez ir pesquisar sobre, o que acabou me fazendo entender os motivos por trás dessa decisão e inclusive me converter, pois comercialmente é sim o caminho correto a se seguir.
O que diferencia Mulan de projetos como Cinderella, Mogli e A Bela e a Fera é uma questão bem objetiva: a China. E não, a Disney não está tomando decisões por causa da cultura ou das tradições chinesas, longe disso, o que está sendo levado em conta aqui é o que pode fazer o filme ter um retorno financeiro melhor, e ne…

Review: Os Vingadores - Guerra Infinita

Dez anos se passaram desde que a Marvel Entertainment se recuperou da terrível crise financeira que enfrentou nos anos 1990, e através dos lucros alcançados com a venda dos direitos de seus principais títulos para estúdios de cinema decidiu caminhar com as próprias pernas por esse mercado, lançando o Marvel Studios. Dezenove filmes e uma absorção pelo gigantesco conglomerado Disney depois, o estúdio estreante mudou as regras do jogo, trouxe um conceito mais próximo do desenvolvimento de quadrinhos para o cinema e tomou a liderança do gênero, o que culmina no evento que é Guerra Infinita. E que evento!
Sim, porque acreditávamos ter presenciado um filme evento com o primeiro Os Vingadores, até mesmo com o segundo, mas se tínhamos, o conceito acabou de subir de nível com esse terceiro “assemble”. O que assisti ontem não foi um filme, foi uma experiência cinematográfica, foi algo inédito em escala, em conceito, em proporções! A promessa de um gigantesco crossover de quadrinhos reproduzid…

Review: Venom

Desde seu renascimento em 2000 com o primeiro X-men, as adaptações de quadrinhos seguiram um longo percurso. Hoje é possível dividir essa era moderna dos super heróis em duas fases: Entre 2000 e 2008, onde o cinema estava brincando com gênero da maneira que sabia ou conseguia, e o pós 2008, onde Cavaleiro das Trevas e o surgimento do Marvel Studios com Homem de Ferro redefiniram o conceito e a forma de trabalhar esse conteúdo. Mais recentemente, títulos como Logan, Pantera Negra, Deadpool e Mulher-Maravilha abriram novos e mais refinados horizontes cinematográficos para o gênero. Eis que agora vem Venom proporcionar retrocesso.
Sim, pois essa é uma perfeita adaptação de quadrinhos de 2004 ou 2006. Desde o roteiro recheado a clichês e diálogos absurdamente expositivos a um vilão da profundidade de um pirex que só aparece para reforçar artificialmente como é mal, o filme parece se esforçar em repetir erros que eu achei que o gênero já tinha aprendido a não cometer. Inclusive, o banal …